Abrace o que sobrou.

E aí, galera… Beleza?! Aqui é o Jordão!

Todo dia estou respondendo perguntas no Stories do meu Instagram. Se você quer ouvir minhas ideias jordânicas, me siga, porque está rolando vídeos curtos por lá. Beleza?! 

Mas o artigo de hoje é sobre o seguinte: abrace, agradeça e toca o pau com o que restou, velho. Eu estou, durante esse insight, aqui na Disney, cara. E ontem, eu estava no parque olhando para o primeiro Mickey que o Walt Disney criou, a long time ago in a galaxy far, far away.

O Mickey é a porra de um rato – que vocês tanto odeiam, porque tirando umas três ou quatro pessoas, ninguém gosta de rato.

E o cara, em vez de começar a Disney desenhando um ursinho, porque os americanos adoram um bear, um coelhinho, um golfinho ou um leãozinho fofinho, o cara começou a Disney com um rato, magro para cacete, preto e branco, feio para danar e deu certo, cara. 

E porque deu certo? Porque foi o que restou, velho! Se ele tivesse desenhado um coelhinho, seria mais um; seria igual ao que já existia… O rato foi o que restou, ele abraçou o que sobrou e fez acontecer! 

Você aí, que é da área de vendas da tua empresa, pega o que restou, cara! Pega o que restou do estoque. Cuida do que ninguém quer cuidar. Aquele território que restou, aquele produto, aquele serviço… Pegue, porra! 

A vida é sobre pegar o que restou e fazer daquele limão uma limonada. O Google também foi assim. Os moleques não sabiam fazer design de nada, não sabiam escrever porra nenhuma, não sabia fazer site… O que restou? Indexar as páginas da internet, cara. Foi o que restou, e os caras criaram o Google!

É a mesma coisa da Walmart, a megaempresa americana. Foi o que restou para o Sam Walton: ficar nas cidadezinhas pequenas, porque, nas cidades grandes, já havia várias lojas grandes que faziam acontecer. Então, ele abraçou as cidadezinhas. 

Jeff Bezos, da Amazon, foi a mesma coisa. O cara foi começar e-commerce com livros! Poderia ter começado com eletrônicos, que têm mais margem, poderia ter começado com produtos mais sofisticados, de maior valor agregado, não é?! 

O cara começou com livro porque foi o que restou. Os varejistas não vendiam livro, porque livro dá trabalho, é um saco, o preço é pequenininho. Se você trabalha aí com alguma coisa que você acha que não tem valor… É o que restou! Pegue, abrace, se dedique, faça com amor.

Ontem eu estava falando aqui com um filho de um amigo meu, o moleque tem uns 10 ou 11 anos, e ele querendo saber:

“Como faz para ficar rico?!”

Eu falei:

“Meu, tudo o que você faz na sua vida, tudo que cai no seu colo, faça com amor, com dedicação. Tudo que é feito com amor, com tesão, dá certo!”

Faça o que restou e faça com amor. Nesse novo ano, não copie os outros, não siga os outros, não siga os gurus, não siga as fórmulas… Siga só o meu canal no YouTube.

Tenha coragem de pegar o que restou e fazer acontecer. Beleza?!

Eu fiz um video sobra abraçar o que sobrou.

Assiste aqui: