O que eu faria se eu tivesse 23 anos de idade.

E aí, galera. Beleza? Aqui é o Jordão. A primeira dica desse e-book vai para todos os jovens de vinte e poucos anos que estão preocupados com a vida. Afinal, você já tem 23 anos e ainda não tem um iPhone, não tem um iPad. Você não tem dinheiro para ir à praia. Ainda não tem dinheiro para comprar um apartamento para casar com a namorada que você engravidou. Ainda não tem dinheiro para fazer a faculdade dos seus sonhos. Não tem dinheiro para comprar o carro dos seus sonhos. Não tem dinheiro para fazer viagens para a Europa. Não é mesmo? Afinal, você já tem 23 anos e ainda não tem tudo isso. Então, esse vídeo é sobre dois conselhos que eu dou para você praticar na sua vida, para mudar a sua vida. São as coisas que eu fiz quando eu tinha 22 anos e que eu faria se eu tivesse 22 anos hoje. Preste atenção!

1º Conselho: Aprenda, adquira o hábito de sempre pedir para fazer mais coisas. Você tem que pedir por mais trabalho. Entendeu? Não, você não entendeu. Por exemplo, você é assistente administrativo do assistente do assistente do assistente. Foi contratado para carimbar Nota Fiscal. Amanhã não tem tanta Nota Fiscal para você carimbar. Então, você vai chegar um pouquinho mais tarde. Vai sair um pouquinho mais cedo. Vai almoçar 20 minutos a mais. Vai ficar sentado na grama trocando Snapchat com o amigo Zé Mané, não é? Não, cara. Não faça isso! Peça para fazer mais, sempre mais. Se o “contas a pagar” você já domina, você faz com o pé nas costas, pede para fazer um RCB. Pede para cuidar do RH. "Jordão, não tem RH na empresa. Você é louco?" Cria o RH, Zé Mané. Pede para atualizar o telefone dos clientes no sistema. "Jordão, isso nem é coisa do financeiro. É do marketing. E nem tem marketing." Pede para fazer, cara. Quando você almoça com seus amigos, você não fala: "A empresa poderia fazer uma pesquisa para entender os clientes." Faça a pesquisa! Pede para fazer a pesquisa. Você já teve a ideia, teve a sacada, pede para fazer.

Tenho certeza que a sua empresa, o local onde você trabalha, tem um monte de buraco, está faltando um monte de departamentos, um monte de funções. Ninguém está conseguindo fazer um monte de coisas. Se você descobriu uma que está precisando ser feita, pede para fazer. Você vai ver que uma coisa leva a outra, que você vai chegar longe e que as pessoas vão valorizar as pessoas que fazem mais, que pedem para fazer mais, que chegam mais cedo e saem mais tarde, que não são movidas a dinheiro, que são movidas a propósitos, que são movidas ao bem comum. Você vai ver que no mundo, na vida, as melhores pessoas, os melhores chefes, os melhores clientes, os melhores colegas reconhecem o trabalho de alguém que se dedica, que é comprometido, que faz o que os outros não pediram para ela fazer. Se liga! Você vai chegar longe fazendo isso. Eu fui contratado, há 22 anos, para ser assistente de marketing. E, como acontece em 99% dos casos, te contratam para X e você acaba fazendo Y porque não dá tempo de fazer X. Os caras me meteram lá para fazer umas coisas de certidão negativa, porque a gente tinha que entrar em licitações, na Brasoftware, e precisava de certidões negativas de um monte de coisas. Eles me colocaram para fazer isso. Então, entre uma certidão negativa e outra, eu dava um jeito de fazer alguma coisa de marketing. Seis meses depois, eu estava dominando o marketing e passei as certidões para outra pessoa. Isso porque eu fui atrás de mais coisas para fazer, e eu descobri e inventei o trabalho. Não esperei ninguém me falar nada.

2º Conselho: Nessa vida, todo mundo tem que ser empreendedor. Todo mundo. Mesmo que você seja funcionário, você tem que ter um jeito de ganhar por fora, de você ter uma segunda renda, de você ter uma segunda coisa, de você ter um plano de fuga. Então, lá atrás, em 1987, eu comecei a compartilhar com as pessoas. Eu já tinha um blog. Eu já escrevia. Eu estava fazendo certidões negativas. Eu estava no metrô, indo para o fórum tirar uma certidão negativa, e eu estava lá escrevendo um texto que eu iria colocar no blog, numa coisa que existia na época chamada BBS, para compartilhar com seis negos que tinham BBS, porque não tinham seis mil pessoas com BBS. Eu ia lá compartilhar com a pessoa o que eu sabia, o que eu estudava. Eu compartilhava com todo mundo. Lá atrás eu fazia isso.

Então, qual é o conselho? Qual é a dica? Escolhe um Instagram, um Facebook da vida, um Snapchat, um Twitter e começa a compartilhar tudo o que você sabe sobre um assunto que você gosta. E não interessa se o assunto que você gosta não dá dinheiro. Aparentemente, na sua cabeça, não dá dinheiro, mas dá dinheiro. Por exemplo, você gosta do Batman. Você fala assim: "Queria trabalhar com o Batman." Mas o Batman? Eu vou ganhar dinheiro com o Batman como? Cria um Instagram e começa a compartilhar tudo o que você gosta sobre o Batman. Sem esperar nada em troca. Começa a compartilhar. Dá um foco no Batman. Por exemplo, vão ser gravuras feitas por fãs do Batman. Desenhos de fãs, não necessariamente dos criadores oficiais do Batman. Cria um Instagram com desenhos de pessoas que criam imagens legais do Batman. E é isso. Você vai ver que um ano depois vai ter mil seguidores desse troço. E vai fazendo, vai alimentando, vai criando a sua base. Enquanto isso, no seu emprego do dia, que você ganha a sua graninha, vai pedindo para fazer mais coisas.  E vai tocando essa vida. Com vinte e poucos, com 23, 24, 26, 27 anos. Vai tocando essa vida até você perceber que tipo de dinheiro você poderia criar em cima desse Instagram do Batman. Você vai perceber, você vai acabar imaginando, criando na sua cabeça isso daí. Por exemplo, um evento para reunir os desenhistas que fizeram os desenhos que você tanto compartilhou do Batman e vai cobrar entrada dos fãs. Sei lá. Vai vir uma ideia.

Então, você tem vinte e poucos anos, você quer chegar longe. Você quer ter um monte de coisas. Você quer ser alguém. Esses são os dois conselhos que eu dou para você, na sua vida. Peça para fazer mais. Peça mais trabalho. Não relaxa, não. Não fica folgadão, não. Não fica sentado dormindo na porra da rede. Levanta e vê se você pode fazer mais alguma coisa por alguém. E a segunda coisa: compartilha o que você sabe, o que você gosta. Isso aí um dia vai virar um negócio. 

Gostou da dica? Para assistir o video onde eu falo sobre esse insight vai aqui: http://ow.ly/4nfWtp