O Obelisco.

“A dificuldade e a dor alimentam a coragem. Você não pode ser realmente um bravo se você teve somente momentos maravilhosos”. Soldado Desconhecido. 

Quando eu entrava na casa do meu avô-materno, não tinha como não perceber. Estava lá para todos verem. Na parede principal da sua sala de estar, ele preservava com muito orgulho as suas lembranças da Revolução Constitucionalista de 32, o capacete SURRADO, as fotos com os AMIGOS, as roupas USADAS e a Bandeira RASGADA do Estado de São Paulo, formavam aquilo que ele considerava o seu maior patrimônio. 

A vida pode nos guardar várias lembranças, mas nenhuma lembrança é tão forte quanto um ensinamento. 

Eu guardo boas lembranças do meu avô, do mesmo jeito que eu guardo lembranças de outros fatos da minha vida e de outras pessoas; mas não são os lugares, as fotos e as recordações do passado ou do presente que ficam para sempre, mas os ensinamentos que podemos tirar deles. Com o meu avô, eu aprendi o significado de ter CORAGEM para lutar por uma CAUSA MAIOR e mais importante do que nós mesmos, e a ENERGIA infinita que isso pode trazer para o nosso coração. 

Depois de tomar o poder através de um golpe militar, Getúlio Vargas aboliu a constituição do país e se tornou ditador do Brasil no início da década de 1930. No final daquele ano, manifestações populares começaram por todo o país. Paulistas, mineiros e gaúchos exigiam uma nova constituição para devolver ao país a sua legalidade política e democrática. 

No dia 23 de Maio de 1932, a morte dos estudantes Miragaia, Martins, Dráusio e Camargo (o MMDC) em uma manifestação contra o governo de Getúlio Vargas na cidade de São Paulo, desencadeou a luta armada que começou no dia 9 de Julho de 1932. 

Três meses depois do início dos combates, os revolucionários se renderam. Mais de 3 mil pessoas morreram, mas sua luta não foi em vão. Em 16 de Julho de 1934 uma nova Constituição foi proclamada, e Getúlio Vargas foi eleito novamente – por voto indireto – por mais quatro anos. 

Em homenagem aos mortos na revolução de 32, a cidade de São Paulo construiu o Monumento e Mausoléu ao Soldado Constitucionalista – conhecido pelos paulistanos como o Obelisco do Parque do Ibirapuera. 

O primeiro obelisco que se conhece data de 5.000 anos atrás no Antigo Egito. Naquela época, os antigos Faraós tinham o hábito de levantar obeliscos para homenagear os seus grandes atos e feitos heróicos. Feitos de pedra maciça, os obeliscos tinham esculpidos em seus quatro lados, as histórias dos seus heróis. 

O Obelisco do Ibirapuera não é diferente. Em seus quatro lados, o arquiteto Galileo Emendabili esculpiu os versos do poeta paulista Guilherme de Almeida sobre o amor a pátria, a vida, a liberdade, a coragem e ao próximo. Mas diferente dos obeliscos do Egito, abaixo do Obelisco do Ibirapuera, descansam os restos dos estudantes MMDC e outros 800 combatentes-heróis que acreditavam na defesa da democracia. 

O que os Heróis Constitucionalistas de 32 diriam se vissem o Obelisco do Ibirapuera hoje? Vendido para a Claro, a mais nova operadora de telefonia celular do Brasil. 

Essa semana, a operadora de telefonia móvel Claro adotou o Obelisco do Ibirapuera. A empresa será a patrocinadora da restauração do Mausoléu de 32. RESPONSABILIDADE SOCIAL? 

O trabalho de restauração irá durar 1 ano e durante esses 365 dias, a Claro ganhou o direito de EMCAPUZAR o Obelisco do Ibirapuera com a MOSTRUOSIDADE da sua propaganda. Por 365 dias!!! 

Por 365 dias, uma empresa nova que ainda não fez NADA pelos seus clientes, ganhou um Obelisco só para ela, e se auto-proclama Senhora de um Obelisco. O quê você fez por mim para ganhar um Obelisco??? E ainda mais um obelisco como o Obelisco do Ibirapuera, e ainda mais por 365 dias!!!??? 

Por 365 dias!!!! Os ensinamentos do Obelisco ficarão cobertos pelos novos modelos de celulares que a Claro oferece. Por 365 dias!!! E AINDA faltam 360 dias!!! 

Alguém pode dizer, “Ricardo, não seja ingênuo em acreditar que alguém dá algo sem esperar algo em retorno”. É mesmo? O Obelisco do Ibirapuera foi restaurado pela Nestlé em 2003 e ela não desrespeitou o Monumento como a Claro faz nesse exato momento. 

Ninguém adora mais a INOVAÇÃO do que eu. Ninguém acredita tanto em MUDANÇAS como eu. Ninguém acredita tanto em EVOLUÇÃO como eu. Entretanto, INOVAÇÃO só tem o direito de se chamar INOVAÇÃO quando ajuda a melhorar a vida das pessoas a sua volta. 

INOVAÇÃO por INOVAÇÃO é Egocentrismo, e Egocentrismo não vale nada. 

A minha luta “armada” contra a Claro já começou. E começou por me desarmar das armas. Desde 1997 o meu celular era BCP. Nenhuma promoção ou tecnologia nova da VIVO ou da TIM havia me convencido a trocar a minha operadora. Até a semana passada. 

A Claro comprou a BCP em agosto passado e com isso perdeu um cliente. Eu. 

Depois de mais de seis anos consecutivos com o mesmo número de celular BCP e uma conta superior a R$ 500 reais por mês ou R$ 6.000,00 por ano ou R$ 180.000,00 por trinta anos de uso, eu troquei o meu celular BCP por um celular VIVO, depois de VER com os meus próprios olhos a MOSTRUOSIDADE que a Claro fez com o MEU Obelisco. 

“Digas com quem andas que eu direis quem você é”. Eu não sou um capitalista selvagem e portanto não quero andar com aqueles que são. 

Que a Prefeitura de Salvador não permita que ninguém cubra o Farol da Barra com propaganda de mal-gosto. Que a Prefeitura do Rio de Janeiro não permita que ninguém vista o Cristo Redentor com uma camiseta de propaganda. Que a Prefeitura de Brasília não permita que ninguém esconda o Palácio do Planalto com egocentrismo. Que a Prefeitura de Curitiba não permita que ninguém desrespeite o Teatro Ópera do Arame com lixo-temporário. Que a Prefeitura de Ouro Preto não permita que suas jóias barrocas de Aleijadinho sejam substituídas por pedras de latão. 

"Que o desrespeito ao Obelisco do Ibirapuera mais uma vez nos ENSINE sobre a qualidade do mundo que queremos deixar para os nossos filhos e netos, e nos INCENTIVE a tomar iniciativas corajosas". 

O Obelisco. RESPEITO + AMOR = UMA CAUSA MAIOR QUE NÓS. Nada menos que isso interessa.

QUEBRA TUDO! Foi para isso que eu vim! E você?