Hoje é aniversário da minha mãe.

Hoje é aniversário da minha mãe!

Da mãe que eu NUNCA vi doente enquanto trabalhava duro todos os dias para criar os seus três filhos. NUNCA.

Da mãe que eu NUNCA vi triste, ou deprê, ou reclamando da vida, ou se queixando do seu destino, ou qualquer coisa do tipo.

Da mãe que eu SEMPRE VI FELIZ com o “pouco” que ela sempre teve.

Ao contrário dessa gente MOLENGA e FRACA dos dias de hoje que falta no trabalho porque o dedo mindinho acordou dolorido, eu NUNCA VI a minha mãe FALTAR em NADA!

Durante 20 anos, ela SEMPRE acordou mais cedo que todo mundo. Ela SEMPRE dormiu mais tarde que todo mundo.

De manhã porque tinha que preparar um leite com ovo (horrível!!!) que ela fazia eu engolir todos os dias antes de ir para a escola; de noite porque ela vivia corrigindo as lições de casa e provas dos seus queridos alunos que são queridos até hoje.

Da minha mãe eu herdei o DNA de querer ensinar os outros. Vem da minha mãe a minha vontade do fundo da alma de querer falar em público, compartilhar tudo que eu sei com outros, e ajudar as pessoas a crescer na vida. Se não fosse por ela, com certeza eu seria outra pessoa hoje.

Da minha mãe eu herdei o DNA de querer trabalhar duro todos os dias e lutar contra o cansaço do corpo e da mente custe o que custar. Dane-se se é dia ou se é noite, se é final de semana ou se é feriado. Eu vou fazer o que eu tenho que fazer.

Da minha mãe eu herdei o amor que eu tenho pelos meus filhos. A minha mãe nunca teve dinheiro para me levar para a Disney, ou comprar um Big Mac para mim, ou um presente no shopping só porque estamos passeando no shopping. O único presente fora de hora que eu ganhei da minha mãe foi o AMOR. Era BEIJO quando acordava, era BENÇÃO antes de dormir, era ABRAÇO o tempo todo só porque dava vontade de abraçar.

Da minha mãe eu herdei a importância de valorizar o que se tem. Minha mãe nunca me perguntou “Filho, o que você quer comer hoje?”, ela me ensinou a comer o que se tem. Arroz, feijão, carne moída e bolachas Maria. Foi a minha mãe que me ensinou e não deixar nenhum grão de arroz no prato. NENHUM!!! Colocou no prato?! Vai comer!!!

Furou o sapato??? Ela acordava logo cedo pela manhã no sábado para pegar o ônibus para ir no sapateiro do centro da cidade para consertar o sapato dos filhos ao invés de simplesmente ir no shopping e comprar um novo. (E eu tomava uns tapas na cara por ter furado o bicho)

Ela SEMPRE me deu uns tapas doloridos na bunda, na cara, nos braços, nas pernas, nas coxas…, eu acho que todas as partes do meu corpo levaram um tapa da minha mãe.

Era a sua tentativa de me colocar no eixo toda vez que eu queria quebrar tudo (e olha que eu quebrava tudo praticamente todos os dias hehehe, e apanhava todos os dias).

Da minha mãe eu aprendi a me emocionar sem vergonha nenhuma. Ela chora de alegria todos os dias!! É muito fácil desmontar a fortaleza que existe dentro da minha mãe. Basta elogiar os seus filhos ou agradecer a ela por seu trabalho. Eu choro de alegria no final de todas as minhas palestras e conversas mais FODAS que eu tenho com as pessoas e com os meus filhos. Eu choro o tempo todo de alegria e acho isso o máximo!!! Eu me emociono todos os dias com as coisas simples da vida. Eu sou assim. E devo isso a minha mãe.

Hoje é aniversário da minha mãe!

MUITO OBRIGADO por cada dia, por cada tapa e por cada beijo, por cada lição de vida que você ensinou e continua a ensinar a todos nós, QUERIDA E AMADA PROFESSORA!!!

TE AMO MUITO!!!

Rica (é assim que ela me chama)