Quando o produto mais caro vence o mais barato.

E aí, galera? Beleza? Aqui é o Jordão. E o vídeo hoje é sobre preço, mix de produtos, concorrência e muito mais. Presta atenção! Galera, quanto você pagaria em um mousepad, quanto vale um mousepad para você? Quanto você daria em um mousepad? Mousepad é aquele troço, aquele tapetinho que você coloca embaixo do mouse para não riscar a mesa do papai. É o tapetinho que você coloca embaixo do mouse para facilitar a precisão do ponteiro do mouse na tela do monitor. Sabe o mousepad? Essa porcaria. Eu não uso essa porcaria há 25 anos, cara. Eu só tenho notebook, touch e o escambau. Só que agora eu tenho um filho de 8 anos, e o moleque é viciado em videogame, viciado em Minecraft, Battlefront, Call of Duty, GTA, Walking Dead. E aí, eu dei o computador, dei o mouse e ele queria agora um mousepad. Aí, fomos em uma loja de games procurar o mousepad para o meu filho. Cheguei na loja de games achando que esse negócio não existisse mais, que seria de graça, que eu ia pisar na loja, nego ia jogar um mousepad na minha cara, “brinde da loja”. Pensei assim: “Eu vou gastar R$ 5 nesse troço. Rapidinho.” Chego na loja: “Cadê o mousepad, tiozinho?” O cara aponta para a direita assim. Uma prateleira de mousepad. Tinha mais mousepad que mouse sendo vendido na loja. E aí, um mousepad específico me chamou atenção por causa da caixa. Uma caixa enorme. Parecia uma caixa de som wireless. Sabe aquelas caixas legais, bonitas? Pego o mousepad na mão, tudo escrito em inglês, falando um monte de coisa do mousepad, que não sei o quê. Uma história longa do bicho. Vou olhar o preço do troço – R$ 179,00!!! R$ 179 por um mousepad. O que você acha desse preço? R$ 179,00. Aí quando eu vou falar assim R$ 179,00 para o vendedor, o meu filho automaticamente fala assim: “Pai, esse mousepad é bom pra caramba! Todos os gamers jogam com esse mousepad. Esse mousepad é isso. Esse mousepad é aquilo. Esse mousepad faz isso, isso, faz aquilo.” Meu filho que vê os vídeos no YouTube, os boxes das caixas, os reviews das coisas nos canais de games, detonava e conhecia o mousepad. Na hora, bateu umas fichas assim na minha cabeça, deu uns cliques assim. Eu pensei assim: “Pô, é verdade. Na época em que eu jogava jogo, que jogava Monkey Island, que eu jogava Full Throttle, era um tipo de mousepad. Era um tipo de mouse.” Pô, os jogos evoluíram, Minecraft é muito louco. Vocês já viram como jogam Minecraft? É um jogo muito para pirado assim, entendeu? Quer dizer, precisa realmente de um novo tipo de mouse, de um novo tipo de mousepad, de um novo tipo de processador, não sei o que lá. A coisa evoluiu. Na hora veio um click. Deu um click na minha cabeça: “Pô, eu não vou mais poder comprar aquele mousepad que eu queria comprar aqui.” Mas nem a pau. Os jogos que meu filho joga evoluíram e o mousepad tem que acompanhar. Fui para o lado direito da prateleira, estava lá os mousepads que eu pensei que eu fosse comprar, né. O de R$5. Pego aquele mousepad de R$ 5, vagabundo pra danar, 1983, com aquela gravura do homem-aranha fake pra danar, ching ling, o Bem 10 mau feito. Uma puta coisa horrível. Pensei assim: “Não vai dar para comprar essa porcaria para o meu filho. Senão, daqui duas semanas eu volto porque já estragou.” Não é, não? O que aconteceu? Eu comprei um mousepad de R$ 55. R$ 55 em um mousepad!!! Você acredita nisso? Um mousepad que não era o dos galãs, mas não era o ching ling. Era um mousepad mais ou menos bom para o meu filho que vai durar uns seis meses, assim espero, para o cara jogar. Aí falei para o meu filho: “Se você jogar, se você abrir o seu canal no YouTube, se tiver muito seguidor, se você detonar, a gente volta aqui e compra o mais caro para você no Dia das Crianças.” Falei para ele. E o meu filho saiu todo contente com o mousepad de R$ 55. Já está instalado e está jogando.

Qual a lição, cara? Qual a lição aqui? É o seguinte. Os nossos clientes pararam no tempo. A cabeça está parada no tempo. Os nossos clientes estão super ocupados, então, eles não sabem das inovações que existem. Cabe a você, vendedor, a você empreendedor, sempre mostrar o que vai resolver o problema do cliente, independente se ele pode ou não comprar. Independente se ele pedir ou não. Você pega e mostra o que vai realmente resolver. Não que ele tenha que comprar aquilo que vai necessariamente resolver. Mas quando ele conhecer aquela tecnologia nova, leva ele a elevar o padrão do cliente e mudar a ideia dele e, quem sabe, levar um produto mais próximo da solução que ele precisa. Esse tipo de estratégia de portfólio de produto, de preço, de comparação e tal é muito usado nos melhores varejos.  Quando você senta em uma pizzaria decente, tem a pizza média, a pizza grande e a pizza família. Se tivesse só um tamanho de pizza, você ia achar caro. Mas como tem três, você faz uma comparação rápida e acaba levando, às vezes, a mais cara achando que está pagando barato em comparação aquela mais barata que está lá. Tem muito disso. A Coca-cola faz muito disso. Chega no supermercado, tem a Coca-cola de 1L, 1,25L, 1,5L, 1,75L, 2L, 2,5L, 3L. A Coca-cola quer que você compre todas ou todas devem vender a mesma quantidade? Nem a pau. Ela deve estar querendo vender a de 3L, só que ela mantém as outras para você comparar os preços, as quantidades e acabar levando a mais cara, a mais inovadora ou a mais sofisticada etc e tal. Então, o ponto é: não tenha só uma versão do seu produto. Ofereça a versão light, a versão professional, a versão premium, a versão corporate. Tenha dois, três níveis de preço de um mesmo produto que você vende para que o cliente consiga comparar, possa comparar e aí levar o que melhor cabe para ele. Beleza, galera? É isso aí.

Para assistir o video dessa transcrição… dá um PLAY logo abaixo: