Uma potência em 15 anos.

Um estudo do Conselho de Inteligência Nacional dos Estados Unidos (NIC), órgão coordenado pela CIA, que será divulgado nesta semana, prevê que o Brasil se tornará uma forte potência econômica mundial ao longo dos próximos 15 anos. A economia do País poderá ser igual à dos países ricos da Europa.

De acordo com o jornal O Globo, o documento final, intitulado "Mapeando o futuro global", traça as perspectivas mundiais até 2020. China e Índia são apontados como os dois principais fatores das mudanças que já estão se desenvolvendo.

O NIC prevê uma reordenação na geopolítica mundial até 2020, com um desgaste da hegemonia dos EUA. "As potências arrivistas – China, Índia, e talvez outras como Brasil e Indonésia – poderão promover um novo conjunto de alinhamentos internacionais, marcando potencialmente uma ruptura definitiva de algumas instituições e práticas pós-Segunda Guerra", diz um trecho do estudo. O documento prevê que o Produto Interno Bruto da China será maior do que o de todas as potências ocidentais, ficando abaixo apenas dos EUA.

A previsão é de que instituições como as Nações Unidas, o Fundo Monetário Internacional e o Banco Mundial correm o risco de se tornarem obsoletas se não se ajustarem a essas mudanças.

Brasil
O relatório do NIC avalia que o Brasil continuará sendo um parceiro natural tanto dos Estados Unidos quanto da Europa, como também de China e Índia. O Brasil é apontado como um "um país com vibrante democracia, economia diversificada e população empreendedora, um grande patrimônio nacional e sólidas instituições econômicas".

O sucesso ou o fracasso do Brasil em combinar o desenvolvimento econômico com políticas sociais terá profundo impacto na economia da região nos próximos 15 anos.

Fonte: INVERTIA